O HTML5 começou a ser desenhado em junho de 2004 e agora está começando a tomar força na internet. Um dos principais objetivos de seu desenvolvimento é a diminuição de plugins necessários para se navegar. Cada vez que você acessa um website com Flash, por exemplo, ele usa os recursos de hardware necessários para se navegar na internet e, também, um recurso extra, que é para carregar o programa necessário para interpretar o vídeo ou animação. Isso acaba consumindo mais e mais recursos locais. Os principais “vilões” de desempenho são o acima citado Flash, o JavaFX, Silverlight entre outros.

Ainda, a nova versão do HTML visa a tão pregada Web Semântica, fazendo uso de novas tags que organizam e facilitam o trabalho de mecanismos de busca, navegadores especiais para portadores de algum tipo de deficiência, além da melhor organização do código criado.

Dentre os novos recursos, é possível destacar alguns como o playback de mídia sem uso de nenhum plugin (vídeos e áudio, com formato open-source como ogg e outros), armazenamento de informações offline (que melhora o tratamento de cookies e aumenta ainda mais as possibilidades de desenvolvimento), canvas (ferramenta de gráficos 2D baseado em cálculo), drag-and-drop (clicar e arrastar, para arquivos locais interagirem com sites não só por um botão de “upload”), entre muitos outros novos recursos.

Mas o que isso pode trazer como melhoria?

O fato de não precisar de plugins e de que a maioria dos chamados browsers modernos (as últimas versões de Firefox, Safari, Chrome, Opera) dar suporte, possibilita o desenvolvimento único para mais de um dispositívo.

Por exemplo: se você criar uma página com um vídeo do youTube, utilizando seu código em Flash para exibir, não funcionaria em dispositivos como alguns celulares com Android, também no iPhone, iPod Touch, no recente iPad e outros. Entretanto, se esta página possuir o mesmo vídeo, porém sendo chamado utilizando a tag _[

No link abaixo, você pode ver uma tabela com informações comparativas da disponibilidade de cada recurso, entre os principais navegadores de hoje:

http://www.findmebyip.com/litmus/#target-selector

Existem também muitas melhorias fora da área de experiências ricas, como dizer que tipo de informação um campo de formulário deverá receber; se um telefone, números (com range especificado), datas, e-mail, código de cor etc.

Resumindo

Mais velocidade, compatibilidade entre dispositivos, maior compreensão do conteúdo mostrado, sites mais inteligentes e com mais recursos, aproximando ainda mais a internet do sistema operacional.

Abaixo, um vídeo interessante e introdutório criado por Brad Neuberg sobre HTML5. Em inglês.

Acesse alguns sites que já estão em HTML5 e veja a diferença (mas certifique-se de estar usando um navegador compatível).